Carregando...
Foto de Márcia Carazzai para Cartas a Curitiba 2

“ Curitiba, cidade das flores ” afirma Márcia Carazzai

Postado em

Foto de Márcia Carazzai para Iza Zilli

 

Curitiba, 09 de Julho de 2018

 

Curitiba, cidade das flores

Minha mãe, grávida de oito meses, veio a Curitiba com o intuito de dar à luz.  Dois meses depois, ela e minha avó faleceram num acidente lastimável.  Já cheguei encarando os imprevistos e acasos. Desde o início, resolvi que tudo daria certo, que algumas desilusões e fatalidades serviriam para reforçar minha determinação e fé na vida. Sem dúvida, muitos acontecimentos influenciaram as escolhas futuras.

Fui morar no interior do Paraná com meu pai. Vínhamos frequentemente à Curitiba. Ora pelo trabalho dele; outras vezes, para visitar a família. E as primeiras lembranças que tenho da cidade são de uma época em que ganhei uma bicicleta do meu avô. Levávamos a sério o nosso ritual de colher flores no jardim: hortênsias, azaleias e cravos, a flor preferida dele.

Na adolescência, mudei-me para Curitiba. E o hábito das flores tornou-se mais frequente, tanto nas visitas aos antepassados, quanto nas visitas aos parentes e amigos.

.Era março de 1997. Formada em Direito e sem expectativas de advogar, meu sonho era ter um negócio próprio. Morava em Santa Felicidade num grande terreno. Fiz um curso sobre “como montar sua floricultura”. E foi amor à primeira vista!  Pronto, a semente fora lançada.

Pedi proteção à Maria Bueno. Salve! Poucas semanas depois, meu sogro, proprietário de um imóvel na Rua Augusto Stresser, me colocou um casarão à disposição.

Optei por abrir uma floricultura.

O empreendimento começou a tomar forma. Frequentei cursos na área administrativa, além dos cursos técnicos de arte floral sempre empenhada em aprender.

Em vez de vender apenas flores, passei a comercializar arranjos e composições florais com design diferenciado. Desta forma, descobri o mundo do florismo: técnicas avançadas de arte floral, compromisso com a qualidade e apresentação dos arranjos e respeito a clientela, levando a cada um, flores que traduzissem sentimentos para cada momento de celebração. Rapidinho ficamos conhecidos por nossos arranjos em espuma floral e por nosso ainda tão cobiçado e famoso buquê que para em pé e já vai com água na base.

Em agosto de 1997, a Agapanthus Floricultura abriu as portas para os clientes. Fomos encantadoramente acolhidos pelos curitibanos.

Com a percepção de que a arte floral seria o caminho do sucesso, continuei investindo em treinamento e qualificação. Inovamos nas formas e texturas dos arranjos com um design mais contemporâneo. Esbanjamos criatividade, agregando materiais que não eram utilizados por outras floriculturas como gel, cristais, cipós, tecidos, apliques, bijuterias, fitas, cerâmicas, porcelanas, enfim, produtos não florais que trazem acabamentos finos ao nosso produto.

Sou membro fundador da Abaf – Academia Brasileira de Artistas Florais –, resultado de muito estudo. Crescemos juntos, eu e este grupo. E tenho orgulho em dizer que pude mudar conceitos e estabelecer novos rumos ao mercado das flores como um todo.

 Minha gratidão aos meus clientes que entenderam e aceitaram o meu trabalho tão diferente do tradicional, adquirindo flores para si, para presente ou para celebrar aniversários, batizados e bodas. E depois de ser tão bem recebida por um público de máxima exigência, a Agapanthus tornou-se referência nacional por seu padrão de arte floral desenvolvido através de utilização de técnicas e novos conceitos e hoje completa 21 anos de existência.

 A Agapanthus Floricultura é “Empresa Solidária AFECE” – Associação Franciscana de Educação ao Cidadão Especial – há mais de 15 anos, colaborando na decoração dos eventos da entidade, assim como no redirecionamento das sobras de materiais que possam ser reciclados em trabalhos dentro da instituição. Também colaboramos com a APAE e apoiamos os eventos para arrecadação de fundos do Hospital Pequeno Príncipe de Curitiba.

Reconheci os sinais e aceitei o desafio para qual fui escolhida! Parti de uma boa oportunidade e com muito estudo, trabalho, empenho, dedicação e bem-querer à minha cidade, semeei muitas flores nos caminhos dos curitibanos.

 “Não foi uma escolha, fui escolhida”.

Autora:

Márcia Carazzai – Empresária- proprietária da Agapantos Floricultura

 

Enviar por e-mail