Carregando...

“ MINHA CURITIBA ” cita Monica Machado Lima

Postado em

 

Curitiba, 2 de Junho de 2018

 

“MINHA CURITIBA”

Curitiba é a sede da Bienal Internacional de Arte Contemporânea, que em 2018 celebra 25 anos de fundação, uma história de arte e cultura que cresceu em harmonia com a capital paranaense.

Nos anos de 2011 e 2018 a Bienal de Curitiba recebeu prêmios da Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA), instituição que tem seu surgimento ligado à Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA), fundada em 1948 em Paris, por iniciativa da UNESCO. Em 2018, recebi o prêmio em São Paulo, e divido o mérito dessas premiações com Curitiba, que sempre abraçou o evento.

Pensar em Curitiba me traz lembranças de minha infância e juventude, memórias dos dias em que estudei no Colégio Sacre Coeur de Jésus, de meu pai Ricardo Jorge Machado Lima e minha mãe Heloisa Machado Lima.

Cresci junto com Curitiba, sempre tive minha história e de minha família intrinsecamente ligada a capital. Meu bisavô, o engenheiro Cândido Ferreira de Abreu estudou em Paris e foi o primeiro urbanista da cidade no início do século XX, foi responsável por obras como o Palacete dos Leões, que atualmente abriga o Espaço Cultural BRDE, sua própria residência, antiga Casa das Ferraduras, o Palácio Belvedere- um gracioso sobrado art noveau que e hoje é sede da Academia Paranaense de Letras.

Foi também Prefeito de Curitiba em duas ocasiões, entre 1892-1894 e 1913-1916. Sua paixão pelo urbanismo e por Curitiba me acompanham até hoje, quando ando pela cidade vejo seus traços nos prédios que criou. Durante seu último mandato projetou e autorizou a construção do Paço da Liberdade, para ser então a nova sede da Prefeitura que viria a se tornar gabinete para 42 prefeitos da capital paranaense. O prédio hoje é tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional, abrigando atualmente o Centro Cultural SESC Paço da Liberdade. Na área da política foi ainda deputado estadual, deputado federal e senador da república. Empresta seu nome a Avenida Cândido de Abreu, que liga o centro da cidade ao Centro Cívico.

Meu outro bisavô, Vicente Machado da Silva Lima, foi por três períodos Presidente do Paraná, atualmente posto de governador. Hoje, Vicente Machado é o nome de uma das avenidas curitibanas mais típicas, justa homenagem por tudo o que ele fez pela cidade e pelo Estado.

A Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba teve sua fundação em 1993 e se tornou um importante marco cultural da história local que pretende continuar somando a estes 25 anos de história já vivida lado a lado com a “cidade modelo”. A Bienal ajudou a abrir os olhos do mundo para Curitiba e a cada edição oferece um espaço para os artistas locais apresentarem suas criações ao lado de obras de artistas dos cinco continentes.

Das palavras de Leminski, a feira do Largo da Ordem, a exuberância do Museu Oscar Nimeyer, Curitiba é cada fase da minha vida, meus bisavôs, meus pais, meus filhos Tatiana, Bruno e Bernardo e meus netos Pedro, Ana Clara e Cecília. Minha jornada na Bienal, me faz ver e sentir cada vez mais os valores da minha Curitiba!

 

Enviar por e-mail