Carregando...
João José Werbitzk

“Não gostaria de te ver transformada numa São Paulo”, diz João José Werbitzki

Postado em

 João José Werbitzki

 

Curitiba, 16 de setembro de 1990

Minha Querida Cidade

Há 39 anos, com alguns pequenos intervalos te vivo no meu dia-a-dia, gostando cada
vez mais de você. Claro que você não é perfeita, mas as qualidades que exibe
são tantas, que quase me fazem esquecer dos teus pequenos defeitos.
Você, minha cidade, me permite ver o sol e a lua, quase sem fumaça de poluição. E me permite dormir tranqüilo, mesmo vivendo numa de suas vias rápidas. O silêncio permite o justo repouso.
Durante o dia, Curitiba, você nos presenteia com um fervilhar cada vez mais intenso
das atividades humanas, do lazer a arte e aos negócios. A cada dia, a gente se surpreende
com novidades e com comodidades que não são encontradas nem em cidades do mesmo
porte da Europa ou da América do Norte.
E claro que, por contingência de estar localizada no Brasil, você Curitiba, deixa de nos
proporcionar ainda mais conforto, mas é importante salientar que você se supera a cada dia.
Bem planejada, pelo Jaime e sua equipe, você é uma cidade que respira prosperidade – e nem
alguns fracos administradores públicos conseguem diminuir seu brilho.
É um prazer ouvir os elogios que você colhe das pessoas de outras localidades,
do Brasil e do exterior, pela tua limpeza, ordem e beleza.
Uma beleza que seria ainda maior se todos nós, que vivemos em você, pudéssemos ampliar a
distribuição desta beleza junto as populações mais carentes – gente que fugiu da miséria para viver na pobreza das favelas, que são pequenas cáries no teu belo sorriso.
É claro que é uma utopia, querer todo mundo vivendo feliz. Mas pelo menos é um bom sonho para alimentar nossa vontade de viver, trabalhar e contribuir para a criação de um futuro melhor para nós mesmos e para quem vive perto de nós.
Só espero, Curitiba, que o teu crescimento como cidade, possa continuar a ser bem administrado, para que o teu corpo em desenvolvimento não cresça depressa demais,
rasgando a roupa que te veste, hoje em dia.
Não gostaria de te ver transformada numa São Paulo, onde os problemas chegam a superar as
vantagens de se viver naquela cidade. Mas gostaria de vê-la num
pique ainda maior, quase paulistano.
Um pique no qual os que em você vivem perdessem a timidez ou arrogância, que caracteriza
grande parte do teu povo. Um pique no qual ninguém se arvorasse à posição de professor de Deus e que, com humildade, passasse a um comportamento mais ativo dinâmico e profissional.
Que as pessoas parassem de se fechar e se esconder em casa, movimentando ainda mais os espaços
de lazer, de dia e de noite. Um pique de metrópole, que você já é, sem os defeitos
metropolitanos e as carências provincianas.
Uma vontade de viver, de superar, de conquistar, de expandir que só fará brilhar ainda mais o teu nome e o brilho da tua gente – que, salvo raras exceções, ainda prefere se esconder no anonimato.
Temos em você, Curitiba, milhares de magníficos exemplos de capacidade e competência, para brilhar além de teus limites e das fronteiras do Paraná e do Brasil.
É tua alma, Curitiba. Essa gente que te faz pulsar e viver. E que poderia ampliar ainda mais a tua excelente reputação, em todo mundo.
Capital Ecologia – Cidade Sorriso. Você poderia ser também a metrópole da competência.
Basta superar a timidez, basta esquecer o ciúme do sucesso, basta erguer
os olhos para a amplitude dos nossos horizontes, basta ousar, basta querer.

JOÃO JOSÉ WERBITZKI (in memoriam)
Diretor da J.J. Comunicação