Carregando...

Experiência, conhecimento e informação

Postado em

LUZITA PEDROSO

Feeling e empatia, são armas usadas por Luzita Pedroso
para ser o que ela mesmo define como uma ponte entre a indústria que ela representa e o cliente para o qual ela quer vender o produto dessa empresa Criativa, e com uma bem embasada formação profissional obtida
na Faculdade de Administração de Empresas,
Luzita é uma pessoa realizadora, administradora de contas especiais na Celucat – do Grupo Klabin, que trabalha com a venda de papéis descartáveis para supermercados e atacadistas.
Por idealismo, Luzita criou o Grupo UMA (União de Mulheres Ativas)
para proporcionar um maior contato entre mulheres da própria rede de trabalho.
Nele Luzita abriu novas portas, estreitou relacionamentos e facilitou a promoção de pessoas e de produtos entre os vendedores e clientes. E mais, ainda,
no UMA ela está eliminando preconceitos e dificuldades de aceitação que persiste entre as próprias mulheres.

 

TEMPO -Já estamos completando quatro anos de vida do Grupo UMA ou União das Mulheres Ativas. No início, quando as mulheres chegam, há uma enorme dificuldade das pessoas se relacionarem. Elas sentem medo de se abraçar, de demonstrar simpatia. Estão fechadas dentro de si mesmas. Mas a gente fala sobre fraternidade e sobre a busca do que há de melhor no próximo.

TROCA – Apresentamos pessoas que sirvam de exemplos. Prestamos homenagens para provar que há pessoas humanas belíssimas, que desenvolvem trabalhos humanitários dignos de respeito e de admiração. E compartilhamos da mesma festa com pessoas de todos os segmentos e classes sociais. No encontro todas trocam experiências, conhecimentos e informações.

INSPIRAÇÃO – Nós vamos trazer outras mulheres inspiradoras para que passem momentos agradáveis conosco. São momentos de troca. A pessoa que se dispõe a participar desses encontros está motivada. E damos tempo para as apresentações, para os primeiros contatos entre todas. Com toda essa inspiração, o grupo cresce cada vez mais.

ENCONTROS – Os encontros são marcados em bons restaurantes, duas vezes ao ano e fazemos palestras depois do jantar. Durante três anos fui presidente do Grupo.
Mas há um Conselho do qual participo, onde as decisões são tomadas de forma democrática, dando rumo ao Grupo UMA.

FESTIVAL – Em julho realizamos o primeiro festival da Romênia. A indústria nos cedeu os produtos alimentícios e uma professora para explicar sua preparação em um curso rápido. Depois degustamos esses produtos feitos pelo restaurante do Senac. Durante o jantar há ainda distribuição de brindes e para 1998 já contamos com o nosso segundo festival, tendo a Santista como patrocinadora.

BENEFÍCIOS – Esses encontros abrem portas para muita gente e traz inúmeros benefícios para todos. Hoje já somos 40 mulheres que se reúnem, ao menos, uma vez por mês. Mas nós sempre temos novas convidadas.

PERSONALIDADES – Em nossas reuniões já pudemos contar com presenças de personalidades dos mais diversos segmentos da sociedade como Margarita Sansone, Bernadete Demeterco, Regina Kracik Teixeira, Juril Carnascialli, Iza Zilli ,Susana Slaviero, Leonida de Azevedo Romanó e tantas outras.

DESPERTAR – Durante esses encontros há uma espécie de despertar para muitas das mulheres. E no decorrer do tempo, uma vai ajudando a outra a crescer. E mais do que isso, elas percebem que também podem contribuir com alguma coisa para um mundo melhor.

SEGMENTOS – Nós trabalhamos dentro de um segmento que, até há pouco tempo, era exclusivamente masculino. Nós lutamos para ganhar maior espaço. Por essa razão a minha conta é sempre maior. Agora também estou dando treinamentos a equipes. Nas salas, às vezes, há cerca de 80 homens. Entrar nessa sala e dar o recado da gente é muito importante. É uma forma de dizer: Sou mulher e cheguei até aqui, outras virão também.

LUTA – Sou uma mulher sozinha, com dois filhos, Luiz Renato e Fabiano E por eles, para defendê-los, aprendi a lutar bravamente. Eu vim de Rolândia, do interior do Paraná, fiz Faculdade de Administração e ingressei em uma área masculina. Dentro do nosso trabalho, a gente é uma ponte entre a indústria e o cliente. Aprendi muito e, ainda, estou aprendendo. Mas já construí o meu espaço.

Enviar por e-mail