Carregando...

“ Gloriosa, nas Alturas e Afagada pela Serra do Mar… ” conta Kazuco Akamine

Postado em

Foto de Kazuco Akamine para Iza Zilli

 

Curitiba, 03 de Julho de 2018

 

Minha querida Curitiba – Gloriosa, nas Alturas e Afagada pela Serra do Mar…

 

            Cada vez, no Rio de Janeiro, quando eu arrumava as malas afim de vir para Curitiba, não sabia prepará-la, pois naquele calor, como imaginar o frio dessa terra, afinal, no mesmo país?

            Quando pensei ter acertado magnificamente, meu guarda-roupa, percebi que durante a tarde, quase morria sufocada e que o sol, aqui nas alturas, tinha seus raios mais ardentes, do que de onde, eu vinha. A tardinha, novamente o ventinho cortante, desapontava quem trazia na pele, o mormaço carioca.

            Ouvia-se dizer, que o curitibano era um povo um tanto reservado, envolto em disciplina e rigidez europeia. Eu porém, tinha amigos da infância paulistana, radicados há tempos aqui, que abriram-me portas, proporcionando tráfego fluído e leve, entre todos.

            Além do mais, no Rio de Janeiro eu era voluntária da Sociedade Eunice Weaver, atendendo 23 educandários desde o Amazonas, Acre, até o Rio Grande do Sul. Eram escolas dando guarida a filhos sadios de hansenianos, na época, não aceitos na sociedade.

            Ao chegar aqui, procurei a afiliada, que era o Educandário Curitiba, instalado no Hugo Lange, numa vasta área próxima à Base Aérea do Bacacheri. Dediquei-me inteiramente a esse voluntariado, realizando-me profundamente e ampliando meu círculo de amizade.

            Anos depois, tracei uma nova vereda. A alta-costura. Tal atividade, levou-me às mais gloriosas festas, como só Curitiba sabe realizar!  Curitiba ensinou aos seus filhos, o requinte na dimensão exata. O luxo na extensão adequada, é resultado de cultura e sensibilidade. E, Curitiba já trouxe em seu DNA, essa esplendida  qualidade.

            O trabalho de extrema responsabilidade, levava-me muitas vezes à exaustão e eu, munida de esteiras e outros aparatos, refugiava-me sob as árvores dos inúmeros parques verdejantes que a cidade oferece.  Mais tarde, comprei meu próprio parque, com árvores nativas, centenárias araucárias, olhos d’água e riacho.

            Essa cidade maravilhosa, com seu povo ordeiro, na maioria das vezes, guiado por brilhantes executivos municipais, fez aninhar-me em seu ventre, para dela nunca mais sair!

            Afagada pela belíssima Serra do Mar, a rainha das araucárias ensinou-me a dialogar com as montanhas matizadas de mil tons de verdes.

            Das janelas do apartamento, quando a vejo, esbranquiçada de névoa, sei que o sol irá iluminar fortemente a cidade sorriso. Quando a serra amanhece bem límpida, percebo que o dia será cinzento. Não muito distante, na Fazenda Vale da Serra, entre montanhas, quando vejo nuvens subindo do solo rumo ao céus, qual suave bruma expelido de um brando vulcão, sei que é prenúncio de leve chuva.

             Tantas cordilheiras visitadas, nenhuma me dá o mesmo encantamento, qual essa serra que abraça a nossa Curitiba. Ela, juntamente com os parques da cidade, parece oferecer suas  folhas em múltiplos matizes, como se fossem mãos espalmadas, para receber todos os anseios humanos, e acalentá-los. Quanta vida, quanta vibração emanam delas, e obviamente, nossa obtusa sensibilidade, não consegue apropriar.

            Com todas essas maravilhas visíveis e outras imperceptíveis, que essa bela e pacífica cidade oferece, o profissional que emana amor, pode perfeitamente, atingir o sucesso, tanto quanto almeja.

            Com minha profissão, cujo fundamento maior, era perscrutar os verdadeiros anseios  de quem nos procurava, atividade insubstituível pela tecnologia, pude beneficiar inúmeras entidades filantrópicas, com o resultado dos desfiles de noivas e debutantes. Alcancei atender, o estado do Paraná, Santa Catarina, parte do estado de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e alguns outros estados.

            As fiéis clientes, esposas de diplomatas ou grandes executivos, no exterior, traziam suas agendas anuais, para que nossa equipe, executasse os trajes adequados para cada situação. Jantar de aniversário da Rainha Elizabeth, corrida de cavalos em Aspen com príncipe Charles, entre outros. Havia também, as grandes apresentações solo de piano, nos mais importantes teatros da Europa e do Brasil, pela Magdalena Tagliaferro. Na ocasião em que recebeu a mais importante  comenda da França, Ordre National du Mérite, coube-nos elaborar o traje e enviá-lo para Paris.

            A força da mulher curitibana, deu também o seu tom, para o crescimento da sociedade, dentro das associações filantrópicas, ou entidades de classe, como Conselho da Mulher Executiva, da ACP,  Associação das Mulheres de Negócios, hoje entitulado BPW, PROVOPAR, tão bem capitaneada por Fani Lerner, entre outros. Em todas elas, tive feliz, dinâmica e harmoniosa participação.

            Meus filhos, Renata e Marcelo, tornaram-se cidadãos nesse mundo sem fronteiras, alavancados pela educação recebida dessa “Cidade Mãe”, tão generosa e competente.

            Seus bairros autossuficientes, nos encantam e os turistas que por aqui trafegam, dizem encontrar uma pequena Europa tropical.

            Minha querida Curitiba, ainda envolta em seus longos braços, reuno crianças com menores oportunidades e com elas, contemplando a nossa Serra do Mar, desenvolvemos inúmeros trabalhos, visando o crescimento interior de cada “guri ou guria” no propósito de criar várias Curitibas, enriquecendo o nosso BRASIL. Com esse encantamento e sentimento de muita gratidão, -surgiu a Associação KAZUCO AKAMINE!…

 

Autora:

Kazuco Akamine

Empresária, escritora, poetisa e palestrante. Cofundadora de nove entidades de classe. Foi diretora de cultura de Campina Grande do Sul. Ocupa a cadeira número XV da Academia Internacional de Cultura de Brasília, e membro do Centro de Letras do Paraná. Criou e dirige uma ONG em Campina Grande do Sul.

                       

 

Enviar por e-mail