Carregando...

Marcus Vinícius De Lacerda Costa

Postado em

Formado em Direito, Marcus Vinícius começou muito cedo sua brilhante carreira. Primeiro, como concursado do INSS; depois, ocupando função de confiança do atual Governador Jaime Lerner quando na Prefeitura. Foi diretor, subprocurador e foi ascendendo até chegar a Procurador-Geral do Município. Mas seu grande objetivo foi atingindo, no dia 28 de junho, quando chegou ao Tribunal de Alçada, como o mais novo integrante da corte. Para Marcus, essa vitória, conquistada aos 38 anos de idade, representa a concretização de um ideal buscado durante muitos anos, algo que o realiza profissionalmente e de forma pessoal, plenamente.

 

A sua bem-sucedida carreira começou com a famosa Campanha dos Doze Dias em 1988, quando, ao encontrar Rafael Greca de Macedo na Boca Maldita, foi comunicado sobre a candidatura de Lerner e convidado a atuar na área jurídica ao lado de Giovani Gionédis. Jaime Lerner foi eleito e, em dezembro do mesmo ano, Marcus foi novamente chamado. Desta vez, para atuar na Prefeitura em função do trabalho desenvolvido na campanha. Pediu exoneração do INSS e começou a advogar, conquistando merecidamente o cargo de confiança que profissionalmente mudou sua vida.  

“Confiança a gente conquista, tem que ser cultivada”, diz Marcus Vinícius, que, apesar de estar hoje no Tribunal de Alçada, recorda-se da Prefeitura, em que entrou com apenas quatro anos após a sua formatura, como importante parte de sua vida, pois lá acompanhou de perto grandes homens, como Jaime Lerner, Rafael Greca de Macedo e, recentemente, Cassio Taniguchi por quem nutre grande admiração.

Ele atribui seu sucesso a diversos fatores: estudo, formação profissional, dedicação total, amor à profissão. Ele vive o Direito, adora o que faz, consequentemente, em sua atuação, está plenamente de acordo com o que gosta. O quarto elemento é a sorte. É estar no lugar certo na hora certa, falando com as pessoas certas. Estudar, procurar suprir deficiências e evoluir sempre é seu lema.

Sobre o poder, acha que quem assume uma função pública que lhe dê o poder de tomar decisões deve estar ciente de que: ela é passageira e deve ser utilizada de forma adequada. A escalada é rápida e o retorno também o será. O caminho da volta deverá ser preparado e para isso a consciência é fundamental. Tão jovem na idade cronológica, aos olhos de muitos, nos momentos breves em que teve o poder, soube lidar com ele. A prova disso foram os amigos com que pôde contar na eleição para juiz do Tribunal de Alçada, da qual saiu vencedor.

 

MARCUS VINÍCIUS

 

Sou feliz com o que tenho. Sou ambicioso profissionalmente sempre numa constante evolução. Acho que esta é a essência do ser humano: evoluir sempre em todos os sentidos. É por isso que estamos aqui, no meu ponto de vista.

Como “hobby”, adoro futebol. Sou coxa-branca fanático, inclusive sou conselheiro do Coritiba. Carro é outra paixão que tenho.

Não sou metódico, não tenho hábitos definidos e não aprecio métodos.

Sou extremamente agitado, raramente estou em casa nos fins de semana. Vou à praia, à chácara, cumpro a agenda social. Gosto de tudo temperado, um pouco de cada, tudo na medida certa.

Relaciono-me bem, independente de partidos, atendo a todos. O que me é solicitado, desde que esteja de acordo com a lei, é realizado.

Pessoalmente estou numa fase equilibrada. Tenho consciência do que quero, saben­do entender bem os meus filhos, dois meninos e uma menina. A gente vai alcançando uma idade que nos traz paciência e tranquilidade. Quando vemos os filhos crescidos, entendemos a velocidade do tempo.

Um registro eu faria a um grande amigo. Sem ele, a caminhada talvez não tivesse sido tão vitoriosa em tão curto espaço de tempo. Isso agradeço a Deus e a um amigo irmão, o Giovani Gionédis, aquele companheiro de todas as situações. Um laço forte de amizade gerado por anos de trabalho conjunto.

Busco ser uma pessoa espiritualizada. Acredito que as coisas não podem acabar por aqui. Creio na causa e efeito e que elas são uma constante na vida. Tudo que vem para mim tem uma razão de ser.

Eu diria para mim mesmo que eu, assim como todas as pessoas, sou impulso para fora de toda uma situação organizada e que não posso esquecer que sou algo que vem e que nunca cessa de vir. O que quero dizer é que, estando em constante evolução como pessoa, como profissional e espiritualmente, embora alcance cargos importantes, jamais deixarei de lado a humildade e o relacionamento humano.

Enviar por e-mail